um portulano

Talvez o mais antigo portulano ainda em uso é atribuído a um cego que se guiava pelos ventos, pelo calor do sol, pelos ruidos e cheiros do mundo. Deliberadamente a tradição omite seu nome,origem e história, deixando que sua cegueira ganhe um valor simbólico e mítico.

Apontamentos de anatomia fantástica

O homem é feito de corpo, olhos e alma.
Olhos são toda a pele que o recobre em modos diversos de sentir.
Mas tudo nessa pele é ver e é também o que dele, homem, se mostra.
O corpo e a alma, ao contrário, não são visíveis.

Sabemos que estão lá, no fundo, urdindo em segredo
o que, em parte, nos olhos se mostra.
Mas não se dão a ver – nem o corpo, nem a alma.
E onde começa um e acaba o outro, não sabemos.

Do corpo, nos ensina a morte, a doença, a mutilação.
Da alma, sequer sabemos como chegamos a deduzi-la
da dor, da alegria e do êxtase.

Mas é tamanho o fervor com que nela acreditamos, que é certo que esteja lá,
tão secreta quanto o coração, as vísceras e tudo mais que nunca chegamos a ver
do que cremos ser o corpo.