das asas

É falso que não tenhamos asas. A prova da sempre iminente emergência de asas em quem se põe a viajar aplicadamente pelo próprio corpo são os sonhos em que voamos. O argumento é simples, se aceitamos que nada está em nosso espírito que não tenha sido experimentado antes pelo corpo. Assim sonhar que se voa é certamente já ter voado. O mistério não é nem tanto termos perdido as asas, mas nos esquecido de tê-las possuído.